Corta o glúten emagrece Veja no blog Emagrecercerto.com

Glúten, o inimigo do emagrecimento! Será se essa afirmação procede, ou é só modinha de internet?

Por que será que dietas famosas como a low carb, paleo e Whole30 pedem para reduzir ou até mesmo excluir o glúten?

Para quem quer emagrecer, glúten é o inimigo principal. O glúten é um composto formado a partir de várias proteínas diferentes.

É encontrado mais freqüentemente em trigo e outros grãos relacionados, tais como cevada e centeio.

Receitas em Vídeo! Inscreva-se aqui >>

Esse ingrediente é comum em panificação e é utilizado em uma grande variedade de alimentos, como um agente intensificador do sabor e um suplemento de proteínas.

Algumas pessoas podem desenvolver uma intolerância e sensibilidade a estas proteínas, no entanto, uma dieta isenta de glúten, muitas vezes contribui para aliviar os sintomas causados ​​por esta intolerância e evita danos adicionais ao corpo.

Por que pode interferir no seu emagrecimento? Pelo simples fato de que a maioria dos alimentos com glúten contém carboidratos simples e índice glicêmico elevado.

Claro que não são todos, mas a maioria tem sim, e se você quiser ver resultados acelerados, então fique de olho na quantidade de carbs e o índice glicêmico desses alimentos.

Alimentos que contêm glúten

Juntamente com o trigo, outros cereais que contêm glúten são duro e espesso, bem como a sêmola.

Muitos são também usados ​​para melhorar o sabor dos alimentos, bem como dá liga e engrossar a sua consistência.

Enquanto os grãos são muitas vezes encontrados em cereais para lanches e vários produtos de padaria, estes também podem ser incluídos numa variedade de outros alimentos que não são tão evidentes.

Utilizado para dar consistência ao alimento, o glúten pode ser encontrado em sopas e caldos, bem como molhos e salsas, tais como o ketchup, molhos de salada, ou marinadas.

É usado para realçar o sabor dos alimentos, que é utilizado em caldo de carne, temperos, até café, produtos lácteos, vinagres e licores. Também pode ser encontrada na substância usada para selar envelopes uma vez que atua como um estabilizador.

O glúten também é usado como um suplemento de proteína, principalmente para pessoas que não têm acesso a outras fontes de proteína.

A proteína também contém o ingrediente útil em substitutos da carne, especialmente aqueles usados ​​em dietas vegetarianas e veganas. Carnes de imitação ou carnes de trigo, são muitas vezes feitas de glúten concentrado.

Proteínas do glúten

Dentro de glúten, existem quatro principais proteínas: albumina, glutelinas, globulinas, e prolaminas.

Glutelinas e prolaminas são encontrados em concentrações mais elevadas no trigo. Muitas pessoas associam o trigo com o termo “glúten”, no entanto, essas são as proteínas mais diretamente relacionados a problemas de saúde como a doença celíaca.

Glutelinas, em particular, são perigosos para as pessoas susceptíveis a intolerância por causa da maneira que essa proteína age no corpo.

A maior parte da proteína de trigo – 80% – é constituído pelo chamado prolaminas gliadina e glutelina.

Quando estas moléculas são unidas entre si, devido a uma reação química, eles esticam e endurecem, permitindo que a massa forme um pão, leve e arejado com uma textura mastigável.

Como resultado, estas proteínas são comumente encontrados em farinha e outros produtos de panificação.

Função do glúten no pão

Ao solvar a Massa o glúten cria os fios que ajudam as moléculas de gliadina e glutenina a juntar-se e se entrelaçarem.

Quanto mais a massa é amassada, mais fios são desenvolvidos e o produto final se forma.

Além disso, as proteínas engrossam quando aquecido, prendendo o dióxido de carbono produzido pela levedura. Isso permite que os produtos de panificação para subir mais e manter a sua forma, em vez de se desagregar.

A quantidade de glúten adicionado à farinha pode ter um impacto sobre a textura do produto final.

Farinha de pão tem mais destas proteínas para produzir um pão, enquanto a farinha de pastelaria tem menos.

A indústria de farinha mede sua concentração com um farinografia, um instrumento utilizado para indicar a densidade e elasticidade entre outros elementos em farinha.

Intolerância ao glúten

Intolerância ao glúten é um termo que é usado para descrever a três condições: alergia, sensibilidade ao glúten e doença celíaca.

Segundo a pesquisa, entre 5 e 10 por cento de todas as pessoas podem sofrer de alguma forma de sensibilidade.

Todas as três condições são difíceis de diagnosticar, entretanto, assim acredita-se que muitas pessoas não estão conscientes de que essa intolerância pode ser a fonte de outros problemas de saúde, como por exemplo, a rinite alérgica.

A as formas de intolerância glúten causam o organismo a produzir uma resposta imune anormal na presença de trigo ou de suas proteínas.

Uma alergia ao trigo pode produzir sintomas como urticária, dificuldade respiratória, e problemas digestivos e, em casos graves, uma pessoa com esta alergia pode experimentar anafilaxia, uma reação súbita e grave que pode ser fatal.

Pessoas com doença celíaca, que causa danos e inflamação no intestino delgado, podem sofrer de inchaço, perda de peso, fadiga, dores de cabeça e o corpo tem dificuldade em obter todos os nutrientes de que necessita dos alimentos.

Dieta sem glúten

Evitando ou reduzindo o glúten é a única forma de evitar os danos causados ​​por uma intolerância, embora isso possa ser difícil de fazer.

Uma dieta sem glúten requer uma compreensão completa do que é e onde ele pode ser encontrado.

O glúten é encontrado em muitos produtos, por isso é necessário que alguém seguindo esta dieta passe a ler os rótulos com cuidado e identificar quais os produtos que podem contê-lo.

Em geral, “sem glúten” significa que o produto contém menos do que a norma mínima que é considerado como sendo nocivo, embora este número varia em todo o mundo.

Porque muitos alimentos contêm essas proteínas, encontrar fontes alternativas para todas as vitaminas, minerais e fibras necessárias para uma dieta saudável pode ser um desafio.

Conclusão

O problema não está no glúten, mas sim na quantidade dos alimentos que consumimos que esta proteína está presente, a maioria possuem carboidratos simples e são de alto índice glicêmico.

Naãão corte o gluten da sua alimentação, mas observe a quantidade de carbs e o índice glicêmico que eles possuem.

Alguns alimentos com glúten podem sim ser beneficiais ao organismo e proteger o coração.

Observe também se você não sofre de alguma sensibilidade ao glúten, e para isso consulte seu médico.

Lembre-se que para mudar a sua alimentação e seguir uma dieta reduzindo o glúten, consulte um nutricionista registrado na sua cidade para acompanhamento.

Espero que tenham gostado do artigo, indique o site aos seus amigos e familiares.

Até breve!

20130213-101705.jpg

 

 

 

Referência:

Harvard medical school – https://www.hsph.harvard.edu/nutritionsource/gluten/

Conheça também o canal Emagrecer Certo no Youtube, já somos mais de 250 mil! 😉
Procurando por Receitas Funcionais? Confira meus e-books e apostilas, CLIQUE AQUI.

Leia também

Sobre o autor Veja todos os posts

Avatar

Yamily Benigni

Esposa, amiga e blogueira ♥ Yamily é apaixonada por gastronomia, viagens e fotografia. Fundadora do site Emagrecer Certo com o propósito de promover a alimentação saudável, bem-estar e ajudar centenas de pessoas.

8 ComentáriosDeixe um comentário

Comente aqui :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.